domingo, 11 de março de 2012

Grandes fusões. Grandes ganhos, grandes perdas

  O mundo moderno tem a tendencia a expandir e fundir. Isso vem acontecendo com grandes e pequenas empresas. Aquela história onde um é pouco e dois é bom parece estar sendo seguida à risca e está acelerando a passos largos.
  A cerca de seis ou oito meses houve a fusão de duas redes de varejo farmacêutico gigantescas: Droga Raia e Drogasil. As empresas fundiram e prometeram conservar cada qual sua bandeira e suas características. Esta fusão colocou a nova rede Raia Drogasil na posição de terceira rede de drogarias em faturamento no Brasil e a maior em número de lojas. Um mês depois foi anunciada a fusão de duas outras redes Pacheco e Drogaria São Paulo, superando a Raia Drogasil. Concorrência ou monopóleo??
  No Rio de Janeiro andamos 100 metros e esbarramos com uma drogaria. Algumas parecem mini mercados, apesar de serem proibidas a comercialização de certos produtos como refrigerantes, sorvetes, chinelos e muitos outros (diga-se a Drogaria Pague Menos), outras são chamadas de Hiper farmácias que trazem um novo lay out, grandes com diversos tipos de ambientes.
  É um dos mercados mais lucrativos que se pode imaginar tendo em vista que com o aumento da expectativa de vida há um aumento significativo do númeo de idosos no país.
  De fato há muito espaço, porém não está disponível para qualquer um. Com essas fusões já não há espaço para as pequenas drogarias, aquelas drogarias de bairro, onde a população ia buscar ajuda do farmacêutico, onde todos conheciam todos pelo nome. Essas foram esmagadas pelas duras mãos de ferro dos grandes empresários. Muitas famílias perderam seus sustentos.
  E por falar em perder seus sustentos... Grandes fusões, grandes demissões. Quando a Raia Drogasil disse que manteria suas bandeiras e suas características não mencionou manter seus funcionários, nem seu padrão de atendiento. Posso dizer que acompanho bem de perto, toda a evolução da Droga Raia, desde o momento da abertura de sua primeira loja no Rio de Janeiro em 2000 e seus conceitos de confiança e respeito foram com o tempo sendo substituídos por saúde e beleza 24 horas e prazer em cuidar (que a meu ver deveria ser substituído por prazer em lucrar), suas lojas passam por gravíssimos problemas de falta de funcionários, funcionários desmotivados, despreparados, há uma infinidade de processos trabalhistas, inclusive no Supremo Tribunal pois a gigantesca empresa não cumpria com as leis trabalhistas não pagando folgas e não cumprindo com as interjornadas. A maior parte de seus funcionários com mais de uma década de trabalho foi dispensada, pois seus salários eram superiores aos salários dos funcionários da Drogasil e pois a maioria se opos as mudanças impostas. Quanto mais se ganha mais se quer.
  Sim, eu fui uma das funcionárias que não aceitou ter que trabalhar suprindo a falta de funcionários de qualquer horário, eu disse não a ter que trabalhar nos feriados sem ganhar folga ou pagamento, eu disse não a trabalhar até as 23:00 e não ganhar o adicional noturno que é direito do trabalhador desse horário, disse não a ter que atender 600 clientes com apenas dois funcionários e disse não às 8 vezes em 6 meses em que fui obrigada a trabalhar das 7:00 às 23:00 pois não havia funcionários para manter a loja aberta. Por fora bela viola, por dentro pão bolorento... é o mundo é feio e sujo e cabe a nós dizer sim ou não.
  Não posso dizer que estou feliz, pois amava meu trabalho, amo lidar com pessoas, formar pessoas, trabalhar com equipe, mas posso dizer que vislumbro qualidade de vida para mim e para minha família que já nem me conhecia. Peço a Deus força para meus amigos que ainda continuam por lá. Que eles aguentem a tempestade pois no final sempre há um arco íris, e o meu já está bem perto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Beijinhos!
Erica