quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Deuses gregos

Com qual Deus grego você se identifica?

A mitologia grega serviu de inspiração também para os romanos. Desta forma, eles passam a adorar os mesmos deuses dos gregos, dando-lhes, no entanto, apenas nomes diferentes. Enfim, confira abaixo os 12 deuses gregos, com os seus respectivos nomes romanos entre parênteses.

 
ZEUS (JÚPITER)

 

 

 
É o Deus principal, governante do monte Olimpo, rei dos deuses e dos homens. Era o senhor do céu, o deus da chuva, e o ceifeiro das nuvens, aquele que tinha o terrível poder do relâmpago. A tempestade representava a sua fúria. Sua arma era o raio e sua ave a águia, animal em que costumava se transformar. Zeus era um tanto mulherengo e teve diversas esposas e casos com deusas, ninfas e humanas, tendo vários filhos semi-deuses.

 
HERA (JUNO)

 


Mulher de Zeus e rainha do Olimpo, Hera é a deusa do matrimônio e do parto. Extremamente ciumenta, é vingativa com as amantes do marido e com os filhos de Zeus que elas geram.

 
POSEIDON (NETUNO)

 

O irmão mais velho de Zeus e Hades é o deus do Oceano. Morava em seu palácio no fundo do mar, junto a sua esposa Anfitrite. Com um movimento de seu tridente, causa tempestades e terremotos - por isso os navegantes sempre rezavam para esse deus pedindo águas tranquilas e que lhes protegessem dos monstros marinhos.

 
AFRODITE (VÊNUS)

 

Deusa do amor, da beleza e do sexo, Afrodite nasceu da espuma do mar e é a mais bela das deusas. Sua presença causava tumulto no olimpo, pois os deuses começaram a brigar para conquistar seu coração, por isso, Hefesto, o mais decidido e tranquilo dos deuses, recebeu de Zeus a mão da bela deusa, fato que ninguém poderia contestar. e então, contraditoriamente, a mais bela das deusas acaba por se casar com o mais feio dos deuses, Hefesto, que era deformado e encardido. Lógico que Afrodite não gostou muito da idéia e o traia com Ares, com o qual teve alguns filhos, Cupido era um deles.

 
ARES (MARTE)

 

O terrível deus da guerra é outro filho de Zeus e Hera. Representado como um homem forte e bruto de caráter violento, que tinha o prazer em apreciar a dor alheia e, no campo de batalha, pode matar um mortal apenas com seu grito de guerra! Quando estão perto dele, as pessoas sentem raiva e vontade de bater uma nas outras.

 
HEFESTO (VULCANO)

 

Também era filho de Zeus e Hera, só que, Hefesto nasceu tão feio que foi jogado pela mãe, Hera, - a despeito de ela ser a deusa da família - do alto do monte Olimpo. Ele despencou durante nove dias e noites até cair no oceano, onde foi criado pela oceânide Tétis (mãe de Aquiles). Ele aprendeu a forjar e, depois de adulto, decidiu se vingar da mãe. Hefesto fez um belo trono de ouro e enviou para Hera. Lisonjeada, ela se sentou, mas não conseguiu mais se levantar, pois o trono estava enfeitiçado. Vários deuses tentaram libertá-la sem sucesso, até que Dionísio, o deus do vinho, levou sua bebida para Hefesto, que bebeu até cair e foi carregado para o Olimpo para desfazer o feitiço do trono. Ao acordar, ele disse que só libertaria sua mãe se Afrodite, a mais bela das deusas, aceitasse se casar com ele. Assim aconteceu, Afrodite e Hefesto se casaram e Hera foi libertada do trono.

Certo dia, Hefesto descobriu que era constantemente traído por Afrodite por meio de Hélios, o sol que tudo vê, e planejou uma armadilha para eles durante uma de suas escapadas. Enquanto Afrodite e Ares estavam juntos na cama, Hefesto envolveu-os com uma rede tão fina que era praticamente invisível, mas muito forte, e levou-os ao Monte Olimpo para humilhá-los diante dos outros deuses. Estes, no entanto, apenas riram diante da visão dos amantes nus, e Poseídon conseguiu persuadir Hefesto a libertá-los como troca de uma garantia de que Ares pagaria uma multa pelo adultério. Pobre Hefesto!

DIONÍSIO (BACO)


Zeus se apaixonou pela mortal Sêmele, e ainda que Zeus ficasse sempre metamorfoseado de homem comum, ela sabia que ele era um deus porque ele lhe sussurrara isso mais de uma vez. Mas a ciumenta Hera, com raiva de ter sido traída mais uma vez por seu esposo divino, armou uma cilada para a rival. Sob a aparência de uma velhinha foi se encontrar com Sêmele e lhe persuadiu a perguntar para Zeus se este era mesmo um Deus, e não um impostor, e que lhe provasse isso. Sêmele ficou com sérias dúvidas, até que resolveu perguntar. Zeus tentou convencê-la a desistir, mas só fazia Sêmele insistir mais ainda. Então ele se revelou em toda a sua glória, resplandecendo em relâmpagos. O corpo de uma mortal não era capaz de suportar aquela luz tão intensa e a infeliz foi fulminada.

 
Acontece que Sémele estava no sexto mês de gravidez, e Zeus se apressou a salvar o filho que ela trazia no ventre. Para dar continuidade à gestação, o deus negociou com seu irmão Hades, o deus dos mortos, que concordou em lhe dár apenas o bebê. Zeus abriu a própria coxa e nela colocou a criança, depois fechou-a com grampos de ouro. Quando o tempo fixado pelo destino chegou a seu termo, Zeus deu à luz Dionisio, que se tornou o Deus do vinho, da farra e da loucura. Era o único deus filho de uma mortal, mas por ser filho de Zeus passou a habitar o monte Olimpo. As celebrações em homengem a este Deus deram origem ao teatro.

 
O NASCIMENTO DE ÁRTEMIS E APOLO

 
A bela ninfa Leto foi possuída por Zeus e engravidou de Apolo e Ártemis. Hera, esposa legítima de Zeus, descobriu o romance e voltou sua ira para Leto. Pediu à Gaia, a Terra, que não oferecesse lugar para Leto, assim a coitada não poderia mais pousar sobre terra firme para ter seus filhos. Como se não bastasse, Hera ainda enviou uma enorme serpente para persegui-la, assim ela não ia permanecer viva tempo o suficiente para dar à luz.
Mas Leto, quase morrendo de tanta dor, encontrou a ilha de Delos, que ao contrário de todos os lugares que passara antes, não era ligado a Gaia, pois era uma ilha flutuante e podia abrigar e esconder Leto de píton, e assim ela conseguiu parir os gêmeos divinos.

APOLO (FEBO)


Apolo era o deus da luz e do sol, na verdade, os gregos acreditavam que ele era o próprio sol, conduzindo a sua carruagem dourada e resplandecente no céu, para chegar, à noite, ao oceano onde os seus cavalos se banham, enquanto a noite prevalece. Por isso era chamado também de Febo (brilhante). Seus cabelos eram louros e seus olhos claros como o dia. Também era o deus da medicina, da música, poesia e da profecia. Assim como sua irmã, era muito habilidoso com arco e flecha, e tocava belas melodias em sua lira. Com poucos dias de vida, lutou contra a enorme serpente Píton e a matou com suas flechas.

 
ÁRTEMIS (DIANA)


Ártemis se tornou a deusa da vida selvagem e da caça. Seus cabelos eram negros e tinha olhos escuros, ao contrário de Apolo, ela era a deusa da noite enluarada. Como era uma caçadora, desprezava a companhia de homens, prometendo ser eternamente virgem. Possuia um arco e flecha como os de Apolo, só que prateados.

 
ATENA (MINERVA)


É a deusa da sabedoria, imbatível na guerra, nem mesmo Ares lhe era páreo, pois, enquanto este só prezava a guerra violenta e sanguinária, Atena era extremamente estratégica. Filha de Zeus com a primeira mulher dele, Métis. Quando Zeus recebeu a notícia de que Métis estava grávida, ficou com medo de que seu filho o destronasse, como aconteceu com seu pai e seu avô. Então Zeus enganou Métis, que se metamorfoseou em uma mosca durante uma "brincadeira" imposta por ele, e acabou sendo engolida propositalmente pelo deus. Mas Métis gerou Atena no ventre de Zeus, que começou a sentir uma insuportável dor de cabeça, e pediu que Hefesto lhe abrisse o crânio com seu machado, e de lá saiu Atena já adulta e toda armada. A deusa jamais se casou ou manteve amantes, mantendo virgindade perpétua. A coruja é o seu símbolo e a capital da Grécia recebeu o nome de Atenas, como uma homenagem a esta deusa.

 
HERMES (MERCÚRIO)


Filho de Zeus com a deusa Maia, Hermes era esperto e rápido e estava sempre a serviço de Zeus. Ele era o mensageiro dos deuses e também conduzia a alma dos mortos até o submundo de Hades. Protetor dos viajantes, comerciantes, dos ladrões e trapaceiros, em suma, de tudo que requer habilidade e astúcia. Representado como um homem de sandálias e capacete com asas e também portando em uma das mãos o caduceu, uma vara com duas serpentes entrelaçadas.

 
Ainda bebê, o astuto Hermes inventou o fogo, friccionando folhas de loureiro com uma acha de lenha, criou um instrumento musical com os cascos de uma tartaruga, chamado Lira, e em uma noite, fugindo de seu berço, ele foi furtar cinquenta gados sagrados de Apolo, e os trouxe puxando-os pela cauda, para que as pegadas indicassem o caminho oposto e confundisse o deus do sol. Mas quando Apolo deu por falta de seus bois, ele logo desconfiou de Hermes, que negou dizendo que seria incapaz devido a tão pouca idade, mas mesmo assim ele foi levado ao Olimpo para ser julgado por Zeus. Ele continuou negando tudo. O problema se encerrou quando Apolo viu a Lira e seu doce som, o deus da música ficou encantado com o instrumento inventado por Hermes e ficou para si, deixando, em troca, Hermes ficar com os gados.

 
DEMÉTER (CERES)


Filha de Cronos e Réia, era a deusa das plantas, da terra cultivada, das colheitas e das estações do ano. Teve uma filha com o seu próprio irmão Zeus, chamada Pérsefone, que foi raptada por Hades.

 
Há ainda outros deuses muito importantes, mas que não fazem parte dos 12 Olimpianos, como:

 
HADES (PLUTÃO)


Hades é o deus dos mortos. Não tinha assento no panteão porque preferia passar a maior parte do seu tempo no reino subterrâneo, o mundo dos mortos, chamado também de Hades, onde vivia com sua esposa que ele mesmo raptou, a rainha Perséfone. Assim como Zeus tem o raio e Poseidon o tridente, Hades possui um capacete que o deixa invisível. Por ser o deus da morte, era bastante temido entre os gregos.

 
HÉSTIA (VESTA)


Também costumava aparecer entre os doze, Héstia. Quando foi dado lugar a Dioniso, o número total de Olímpicos passou a ser treze. Sendo tal número indesejável, e de modo a evitar conflitos, Héstia abdicou do seu lugar entre os doze. Ela é a deusa grega dos laços familiares, simbolizada pelo fogo da lareira. Cortejada por Poseidon e Apolo, jurou virgindade perante Zeus, e dele recebeu a honra de ser venerada em todos os lares e ser incluída em todos os sacrifícios. Sua chama sagrada brilhava continuamente nos lares e templos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Beijinhos!
Erica