segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Medos

Poucos sabem sobre muitas coisas a meu respeito, e muitos de vocês que leem o que escrevo aqui devemm pensar: "que louca é essa que fala tanto sobre sua vida pessoal?".

De fato, tudo, ou quase tudo sobre o que escevo tem relação à mim, ou a alguma coisa que aconteceu ou acontece na minha vida. Mas acho que isso tras calor ao que é escrito. Deixa de ser impessoal e quem sabe, de alguma maneira toque, ajude ou anime alguém em alguma parte do mundo.

Eu tenho três medos, na verdade não são simples medos, são pânico. Não tenho medo de rato, barata nem nenhum inseto como a maior parte das mulheres tenho emetofobia, motefobia e necrofobia.

Emetofobia: pânico de vômitos. É comum não gostar de vomitar, mas eu literalmente fico desesperada se eu o faço. Passei por isso poucas vezes, mas todas foram episódios terríveis. Pena de quem tá por perto. suor, frio, tontura, choro, incapacidade de movimentos ou muitos movimentos... Terrível. Dos três esse é o menos incomodativo porque graças à Deus tenho o estômago muito forte rsrs Como de tudo e coo bastante e dificilmente passo mal.

Motefobia: não sabia nem que existia um nome para esse medo, mas é medo de borboletas e similares. Acho lindo em desenhos ou em filmes, mas avisto uma a uma distância enorme, mesmo miope e sem óculos. Não consigo ficar nem perto, fico gelada e com falta de ar. Que coisa né?! Certa vez assistindo o Jô Soares ele falou que o padrinho dele também tem esse medo. Me senti menos sozinha no mundo das esquisitices.

Necrofobia: medo da morte e de coisas mortas. Não sei se seria esse o nome para o que eu tenho, afinal, não teho medo de coisas mortas nem da morte em si, mas tenho pânico do momento da morte. Da passagem deste mundo para o melhor (ou pior), de bater as botas, vestir o paletó de defunto, empacotar... Sério! Essa é a pior fobia que eu tenho, me consome grande parte da noite, fico pensando que não quero morrer, é cruel!

Sei que todos os medos tem tratamento, tem controle. Eu mesma tento controlá-los de alguma forma para que não atrapalhem a minha vida ou que causem transtorno para os que estão a minha volta.

Se você tem um medo melhor encará-lo e assumir que tem esse medo é um primeiro passo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Beijinhos!
Erica