terça-feira, 5 de março de 2013

Perdas e ganhos

A figura mais importante na minha vida foi meu avô paterno. O homem mais bondoso e honesto que eu conheci. Ele abdicava de tudo em benefício dos outros. Dava tudo o que tinha para aqueles que tinham menos.

Foi por causa dele que tive atraso de desenvolvimento motor para andar. Ele ficava comigo o tempo todo no colo.Lembro quando fazia travessuras e antes de minha mãe brigar eu já corria para o colo dele.

Quando eu tinha quatro anos, meu avô foi internado. Teve um infarto. Uma noite antes de receber alta fomos visitá-lo.

Lembro do telefone tocar e da vizinhança entrando na casa chorando. Mas, o que eu mais me lembro é da cor do telefone: vermelho.

Senti a presença dele em alguns poucos momentos de minha vida, mas seu amor, lembro até hoje.

Perdi muitas pessoas queridas, mas nunca chorei por elas. Nunca senti falta. Estranho por que as amo...

Talvês por saber que estão comigo, por ainda sentir o amor delas junto à mim, ou por crer que estão em um estágio melhor, que estão evoluindo...

A vida me deu muitas pessoas a quem amar, mas apenas uma pessoa conseguiu fazer sentir o que nenhuma outra fez. Sentir falta. Há momentos como agora, em que a saudade aperta tanto que escorre pelos olhos...

Me esforço para não olhar, para não saber, para não ligar, mas é uma luta, pois, ao contrário de todas as pessoas a quem amei e perdi, não sinto seu amor, muito menos sua presença.

Sei que essa me deixa e não leva nada de mim, mas deixa comigo muito dela.

Tento encontrar forças na fé, nas tarefas do dia-a-dia, nos amigos e em mim, mas é difícil...

Sei que nem sempre temos tudo o que desejamos e que a maior prova de amor e de amar é abrir mão. Mas não sou tão forte assim, nem mesmo corajosa. A vida tem sido muito boa para mim não posso reclamar, mas se eu pudesse voltar no tempo, saberia bem para que momento voltar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Beijinhos!
Erica